Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

A Esquina do Desencontro

Histórias de Desencontros Ficcionais (ou Não) na Esquina da Vida

A Esquina do Desencontro

Histórias de Desencontros Ficcionais (ou Não) na Esquina da Vida

Xutos & Bruce

A expectativa é patente, sente-se no ambiente vibrante, estridente e super cool, é sempre gigantesca e wild, mesmo quando os fãs e os rock shows já são deliciosamente reincidentes mas, a magia do that special timing in concert, essa, está sempre presente como stomach butterflies itching.

Um concerto brilhante, que enche a alma e balança o corpo, previsivelmente enérgico e revivalista, com muita nostalgia boa à mistura mas, sempre compostamente roqueiro, imparável e dinâmico, transcendente no tempo geracional, preenchido com a sabedoria e o profissionalismo da performance aprazível e contemplativa e recheado com aquela música intemporal e tão característica, dos nossos grandes Xutos, a que tão facilmente nos habituamos e entoamos, qual hinos da adolescência. Luz, cor, alegria, boa música, muito bom espectáculo. Nunca desilude.

Mas, a espera da noite é, naturalmente, focalizada no Boss. Nascido Bruce Frederick Joseph Springsteen, em Long Branch, New Jersey, USA, a 23 de Setembro de 1949, conhecido pelas suas lyrics irreverentes, patrióticas, humanistas, sociais e, muitas vezes, dedicadas à working class americana, com a qual se identifica, é, sem dúvida alguma, a shining star na primeira noite de Rock in Rio 2016 Lisboa, e uma brutal abertura de 30 anos de Rock in Rio celebrations que acalma até as hostes mais mirabolantes e disfuncionais, apazigua as dores e retempera a soul sister. Também ele nos trouxe resmas infinitas de revivalismo e muita nostalgia esquecida. Também ele nos brindou com verdadeiros hinos gloriosos e mística desconcertante. Também ele nos elevou aos céus, fez explodir e despoletar emoções há muito contidas e esquecer as tristezas e agruras da vida. Um concerto repleto de interacção com o público que, em êxtase, definitivamente se entregou e foi conquistado, logo ao som dos primeiros acordes, pelos encantos musicais e outros que tais do Boss. Intenso até ao fim. Fenomenalmente enchanting, o Boss no seu real best!

Parabéns, Rock in Rio! Well done, once again, Roberta Medina!

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub