Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A Esquina do Desencontro

Histórias de Desencontros Ficcionais (ou Não) na Esquina da Vida

A Esquina do Desencontro

Histórias de Desencontros Ficcionais (ou Não) na Esquina da Vida

Tristeza e/ou Quem Sabe, Talvez, Depressão – O Percurso da Mente

Tristeza

Nome Feminino.

Estado de quem sente insatisfação, mal-estar ou abatimento, por vezes, sem razão aparente; melancolia, angústia; inquietação.

Causa que provoca abatimento, estado depressivo ou nostalgia; pena; mágoa; aflição, consternação; saudade.

 

Depressão

Nome Feminino.

Estado mental caracterizado pela persistência de sintomas como apatia, desânimo, melancolia, cansaço e ansiedade.

Sentido Figurado – abatimento físico, intelectual ou moral; enfraquecimento.

 

A mente humana continua a ser um mistério cuja exploração prevalece incessante e por determinar. Ao longo de uma vida, não conseguimos descortinar os seus labirintos elaborados, mecanizados ou espontâneos, e o estudo numa espécie é um desafio obscuro, prolongado, interminável, repleto de incógnitas e becos sem saída. Quem se dá verdadeiramente a conhecer? Será que cada indivíduo se auto-analisa correcta e convenientemente? Porque se torna cada ser tão único e especial? A observação e a metodologia da experimentação científica traduzem a realidade observada? Ou que se deixa observar? A dificuldade está em aceitarmo-nos como sendo, mentalmente, bem diferentes uns dos outros, porque o esqueleto de base acaba por ser o mesmo, os órgãos serão os mesmos (a disposição, o tamanho, eventualmente, sofrerão moderadas variações), o funcionamento será expectavelmente estereotipado e comum. O limite estabelece-se no social e nas suas regras deterministas. A liberdade de valores acaba por ser questionável. A regra de ouro é a da pertença ao grupo. Ser discreto, não dar nas vistas, cumprir as rotinas, não quebrar padrões, ser aceite. A diferença não é propriamente um condimento social aprazível e conciliador. Pensamentos, ideias, projectos, sonhos só funcionam enquanto o social controlar o damage report e os danos colaterais. Assim, o extravasar da mente é condicionado e controlado. Nos casos extremos de descontrole, criam-se versões acondicionadas de reptos emocionais projectados em estados como a Tristeza e mais profusamente o descambar para estados de Depressão. Este último estado, bem mais repressivo e maníaco do que o primeiro é alimentado tempestiva e incessantemente, aproveitando as fragilidades emocionais prostradas e em observação, esquecendo o social de individualizar, contextualizar e enquadrar a história, o acontecimento, o comportamento vivenciado. Castramos as emoções, os sentimentos, as perdas, o negativo, o diferente. E somos conservadores nos nossos discursos, apesar de aos sete ventos apregoarmos empreendedorismo, inovação, criatividade, diferenciação, progresso e estímulo mental. Então, Tristeza é o mesmo que Depressão? Confundem-se? Complementam-se? São consequência? São sequência? São aceites? Sabemos lidar com ambas? Sabemos fazer coaching e mentoring emocional? Podemos e devemos fazê-lo? Standardizamos os estados e os espíritos? Observamos à distância? Queremos e sabemos intervir? Esperamos resultados? Queremos realmente mudar alguma coisa?

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub