Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

A Esquina do Desencontro

Histórias de Desencontros Ficcionais (ou Não) na Esquina da Vida

A Esquina do Desencontro

Histórias de Desencontros Ficcionais (ou Não) na Esquina da Vida

Sem Som

Destreza amargurada,

Esquecida pois num barranco,

O vento assobia longe,

Perde-se sem som, todo o encanto.

 

Silêncio que se não escuta o fado,

Tristeza na alma destemperada,

Omissão sonora palpável,

Invasão curiosa de ondulação adiada.

 

Um mundo silencioso,

Um estranho sentir das vibrações,

Desconsolo musical,

Desconsolo natural.

 

A fala rouca,

Escondida nos sons perdidos,

Uns se apegam ao céu,

Outros, à terra, inaudidos.

 

Festivais sonoros se foram,

Deambulamos tontos,

Não mais guiados pelos sons,

Ousadia ausente, aos tombos.

 

Assim é, sem som,

Assim é, na escuridão sonora,

Assim é, na perdição do tempo sonoro,

Assim é, na intransigência dos sons de outrora.

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub