Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

A Esquina do Desencontro

Histórias de Desencontros Ficcionais (ou Não) na Esquina da Vida

A Esquina do Desencontro

Histórias de Desencontros Ficcionais (ou Não) na Esquina da Vida

Os Livreiros das Nuvens

A magia real da entrada na atmosfera terrena é sempre imprevisível. Umas vezes, atabalhoada, outras, imaculada. O temperamento dos humanos determina o evento e os humanos são inconstantes, por isso, tudo pode acontecer. Já não é a primeira vez que os Livreiros descem das suas nuvens. Há necessidade de saber, de conhecimento, de história lá em baixo. Os humanos evoluem a cada ano que passa, na realidade, a cada dia, cada semana, no entanto, têm de ser guiados por mãos, pés e cabeças invisíveis que os cinjam à sua condição de facto, ainda infantil e imatura, porque estão em crescimento. Quando os Livreiros das Nuvens nos visitam, a natureza entra em convulsão. Há tempestades, cheias, erupções, tsunamis e afins. A natureza não está preparada para ser substituída no seu papel pedagógico e educacional e zanga-se com os humanos. É nessa altura que os Livreiros mais são precisos. São os portadores da inovação, do progresso, da evolução, da experiência e da resiliência face às adversidades. É que a relação entre humanos e natureza nunca foi muito fácil. Divergências de interesses milenares, apartam esta relação de equilíbrio difícil e delicado. Os Livreiros das Nuvens sempre nos socorreram, no entanto, prontamente. Os seus ensinamentos lógicos e racionais sobrepõem-se à volatilidade dos estados emocionais, por vezes, impulsivos e descontrolados dos humanos e aos seus comportamentos erráticos. Uma vez mais, nos vieram socorrer. Enviesados nos seus pensamentos estupidificantes de ganância e poder desenfreado, os humanos esqueceram, de novo, o propósito da humanidade, team work feito de partilhas evolutivas e de uma perspectiva globalizante integradora futura, sustentável e responsável. Assim, os Livreiros das Nuvens desceram, na esperança de resolver mais este novo conflito existencial e de orientar a desorientação humana, com o intuito de uma retoma civilizacional regrada, guiada e pacífica. O futuro é feito de paz e de boas acções. É feito de esperança e de trabalho árduo. É feito de amor e amizade. É feito de resultados, acções e comportamentos positivos. Mais uma altercação desinflamada. Mais uma conquista na senda existencialista humanista e positivista. Mais um obstáculo transposto. A humanidade sobrevive. Mais um dia. E de pequenos grandes passos é feita a espera, a confiança de que tudo, por certo, irá continuar bem. Sempre. Ou não.

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub