Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

A Esquina do Desencontro

Histórias de Desencontros Ficcionais (ou Não) na Esquina da Vida

A Esquina do Desencontro

Histórias de Desencontros Ficcionais (ou Não) na Esquina da Vida

O Sentido Perdido da Vida

A viagem astral iniciou alguma coisa, que despertou algo. O mundo terrestre, ainda jovem, exibia um potencial fabuloso para recriar a experiência que falhara numa outra galáxia, num outro sistema, num outro planeta. A vida prematura e primitiva era extraordinária, na sua inocência, na sua capacidade de aprendizagem, na sua manipulação, na sua crença divina. O engano primeiro resultara. A criação de um Deus supremo, capaz de mudar o mundo, as vidas e as histórias, revelara-se essencial para a primeira abordagem àquela civilização. A falta de conhecimento e a inexistência de tecnologia, consolidava a experiência e afastava qualquer possível represália ou eventual revolta, por parte do povo indígena. A vida destes invasores estava condenada. Perdera o seu sentido, há muito tempo, quando a aprendizagem pelos erros, deixou de resultar. Assim, mataram o seu mundo e partiram em busca de novos. Encontraram a Terra. Perfeita no seu equilíbrio, rica em recursos, sem opositores. Os invasores observaram, durante muito tempo, a evolução desta civilização e compreenderam, a certa altura, que também ela perdera o sentido à vida. O que mais assusta nesta civilização global? A capacidade de auto-destruição insana que insistem em desenvolver. Os invasores acompanharam a sua história, desde os primórdios à actualidade e sentem, cada vez mais, que esta Terra perfeita e em equilíbrio, em breve o deixará de estar e também ela morrerá. Os invasores não intervêm directamente nos planetas por onde passam, por isso, a sua tarefa estava largamente dificultada. Os humanos caminham para a extinção. Os invasores não podem, por isso, ficar neste planeta. A sua viagem continuará e as suas intervenções indirectas, na vida do planeta e dos humanos revelaram-se inconsequentes. Uma pena para os humanos que terão de passar por tudo o que os invasores anteriormente passaram, para poderem crescer. Isto, se ainda tiverem Terra para crescer. Auspiciam-se tempos negros. O universo lança o seu duro feitiço, a sua negra magia e aguarda. Aguarda que haja um despertar de consciência comum, que regenere e promova o sentido perdido da vida humana. Aguarda pelo reencontro do amor, da felicidade, do respeito pelo outro e do sentido de família dos humanos.

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub