Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

A Esquina do Desencontro

Histórias de Desencontros Ficcionais (ou Não) na Esquina da Vida

A Esquina do Desencontro

Histórias de Desencontros Ficcionais (ou Não) na Esquina da Vida

O Que Realmente Conhecemos

Somos realmente felizes? E seremos mais felizes sozinhos ou acompanhados? Darmo-nos de corpo, alma e coração a outro é difícil e, na grande maioria das vezes, acaba mal. Então, o que nos faz continuar a tentar? O que nos dá alento e esperança? A possibilidade de encontrarmos um dia, talvez com alguém, a felicidade. Na realidade, o que nos move verdadeiramente é o sentimento de pertença e reconhecimento, de aceitação por parte dos outros. O facto dos outros nos aceitarem, tal como nós somos, com todos os defeitos e virtudes, transparentes e frágeis, despidos de máscaras ou capas, liberta-nos e dá-nos uma sensação de paz interior. Todos queremos encontrar o amor, amar e ser amados. É humano. Faz parte de nós. A questão que se coloca agora é: quando finalmente encontramos ou pensamos ter encontrado a felicidade com alguém, o que fazemos quando esse alguém desilude, se transforma, se torna desconhecido, se afasta, muda? Como sabemos que conhecemos realmente as pessoas, a nossa cara-metade? Quando se diz que o amor acaba e as pessoas procuram conforto num outro lado, o que aconteceu? Estivemos anos a fio com uma pessoa que não conhecíamos, que nunca nos amou, que simplesmente se esqueceu de nós ou de como éramos? O que compreendo é que cada vez mais se torna difícil encontrar o verdadeiro amor, conhecer bem as pessoas, na sua essência bruta, no seu eu mais interior. Estamos a tornar-nos demasiado egoístas e centrados em nós, na nossa carreira, nas nossas coisas. Deixamos de acreditar e esquecemos o que de bom temos. O coração apaixonado e puro. É, por isso, que o primeiro amor deve ser guardado com ternura, doçura e carinho. É o mais puro, o mais verdadeiro, o mais inocente, o mais incondicional. O que realmente conhecemos? Não sei. Ninguém sabe. Temos de esperar para ver e confiar que tudo irá correr bem. Ou menos mal.

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub