Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

A Esquina do Desencontro

Histórias de Desencontros Ficcionais (ou Não) na Esquina da Vida

O Que Acontece Depois

28.05.24 | Cuca Margoux

O dia amanhece,

Talvez, quem sabe, numa nova prece,

Tudo se conjuga com propósito,

Tudo se desconstrói com uma fórmula sem depósito.

 

O pensamento acorda desfeito,

Porque o sonho foi fechado a preceito,

O conhecimento acelerou a discussão,

O argumento perdido encerrou a confusão.

 

Sentir a verdade,

Viver a mentira,

É certeza prematura,

Enredo final estigmatizado pela ira.

 

O saber de pouco tempo,

A razão quente do momento,

O conflito geracional do maior saber,

É convulsão acesa na iluminura do mais querer.

 

E, assim, cai a lágrima,

E, assim, se desiste de ensinar,

Num descanso da pedagogia alheada,

Na frustração da passagem do testemunho quebrada.

 

O que vem antes,

Tudo começa sem lógica,

Num desentendimento obstinado,

Na falta de comunicação, num momento desconcertado.

 

A impotência de ver o erro,

Erro que seria tão mais fácil de evitar,

Se a teimosia se esquecesse,

Se a maternidade do bom senso se ouvisse.

 

Assim, as consequências são imprevistas,

Num futuro ainda mais incerto,

Numa volátil amargura,

Numa tristeza incompreendida, a preocupação é sentir desperto.

 

O amar que se não pode,

Porque a independência e a autonomia avolumaram,

Porque a idade da razão apareceu,

Porque o que é e o que deve ser ainda não amadureceu.

 

O que acontece depois,

Quando os cacos se juntam,

Naquela cacofonia supostamente evitável,

É o saber fazer da maternidade, que abraça, consola e resolve a dúvida e a dor inevitável.