Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A Esquina do Desencontro

Histórias de Desencontros Ficcionais (ou Não) na Esquina da Vida

A Esquina do Desencontro

Histórias de Desencontros Ficcionais (ou Não) na Esquina da Vida

O Dia das Bruxas e dos Bruxos

Uma comemoração reincidente, fantasiosa, pagã, mágica, holística, mística, foreigner, que se tornou tradição de romaria gastronómica e de indumentária alusivamente efusiva. As origens primeiras pouco importam, os tempos perdidos no tempo e os caldeirões e poções idem, porque a realidade está comprovadamente garantida nas mentes das novas feiticeiras e dos novos feiticeiros que comemoram a viagem inebriante e tempestiva into the weird kingdom da bruxaria e do feitiço e o dia veio mesmo para ficar. A dedicação exclusivista da jornada confinada a bruxas, bruxarias e bruxedos está gloriosamente ultrapassada pelo intervencionismo, cada vez mais aceite e convencionado, do género masculinizado. O Dia é das Bruxas e dos Bruxos. A revitalização de convénios, desajustes e afins, permite impulsionar toda uma envolvência primitiva, que nos faz viajar no espaço céltico das paisagens de gentio devoto ao paganismo. O mundo transforma-se, o mundo muda. Nesta noite de luar incerto e névoa cadente, dois mundos chocam, numa colisão alada de magia enredada e convulsões extravagantes dualizadas. Muito para além do simplismo da óptica clara e substancial do aspecto quantitativamente económico, que permite toda uma dinamização anafilática e moderadamente comiserada da indústria dos feitiços enfeitiçados, a volátil entrada derreada entre portais vaticina os condões de cada noite, potenciando aventuras surpreendentes e de carácter diferenciador. A surpresa anual traduz, por isso, o mote bilingue da dark sui generis night. Trick ou Treat. A dualidade de géneros festivos e anfitriões é a novidade e as bruxas deixaram de o ser sozinhas. Os bruxos intervêm e são positivamente integrados nas contemplações e adorações do lado negro. Assim, lá foge o mundo para o longínquo âmago de desnortes ancestrais de black mambo magic e, esvoaçantes pelos sete céus divinos, em vassouras temperamentais, vestidos de preto e chapéu pontiagudo, com verrugas no nariz, despoleta-se o pior de uns e outros e faz-se renascer as trevas esquecidas no subconsciente conscientemente maléfico e maligno. Alerta, gentes da Terra! A noite é das Bruxas e dos Bruxos e a Perdição está seguramente assegurada! Be Aware! Be Afraid! Muito Afraid!

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub