Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A Esquina do Desencontro

Histórias de Desencontros Ficcionais (ou Não) na Esquina da Vida

A Esquina do Desencontro

Histórias de Desencontros Ficcionais (ou Não) na Esquina da Vida

Inspirações Desinspiradas

O colosso fenomenal do paradoxo literário mundano, reverte filosofias abrasivas de resguardo secular inusitado. Verdadeiramente resfriante é o magno desgosto da madona abandonada e perdida no deserto das desilusões atemporais que mirram, qual rosa desnudada na jarra de cristal palaciano feita, apontando direcções surreais e ambíguas menosprezadas pelos factos da razão em detrimento dos murmurejares do coração, emoções que exaltam a alma e perpetuam a monumental tragédia da virgem gloriosa, esbelta e determinada, esboçada no canto superior do quadro, há muito amarelado, do artista desconhecido. Inspirações desinspiradas brotam da árvore dos  sentidos azuis, porque os púrpura morreram de lilás andrógeno. Vislumbra-se, lá longe, lá lem, o corgo da vida imiscuida de prazenteiro sucesso momentâneo e de quedas abismais, sulcadas por prantos inaudíveis das hostes rebeldes e aniquiladas, que outrora comandaram o mundo virtual do paralelismo nórdico. Sucumbir a esta irrealidade real obtusa, ofusca os sentidos insensíveis. Na fantasia da história não contada ou inacabada ou não começada, eventualmente, sequer, estridentes mananciais de vultos opacos de morte, sobranceiros à estepe invernal das luzes do norte magnético, fibrilham vontades descarnadas de seres não terrenos, providos de desmazeladas convulsões titânicas abstractas e brancas. Movimentos circulares enchem a perspectiva lateral do óculo dianteiro das musas da antiguidade. O continuum infinito dos abraços inconstantes será perpétuo e não mais os estratos neurais de pensamento ilógico fugirão das frustrações biónicas que acalentam a esperança dos humanóides humanistas no mundo perfeito que quer existir mas que, não vinga, nem espraia tentáculos sustentáveis, coordenados ou resistentes. A ode à ilusão desilusória é o mote das gerações e do ciclo reencarnado da vida eterna e imortal.

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub