Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A Esquina do Desencontro

Histórias de Desencontros Ficcionais (ou Não) na Esquina da Vida

A Esquina do Desencontro

Histórias de Desencontros Ficcionais (ou Não) na Esquina da Vida

Futilidades Dissociadas

O marco geodésico elevado, adaptado e construtivamente fantasiado numa outra encarnação fashionable, marcava o rendez vous tão apetecível e desejado. Talvez ainda o não soubessem. O ponto de encontro caótico do milénio das massas esterlicadas apoquentava assim os neurónios mais brilhantes e iluminados, os quais combatiam veemente as futilidades generalistas abarcadoras do surreal imaginário, tentando regredi-las num contínuo esforço racional de dissociação avançada, para além do status quo derradeiro. Ordem no caos. Caos na ordem. Vontade apreensiva. Destempero momentâneo. Os corpos vivos biologicamente, mas mortos intelectualmente, começavam a amontoar-se desordenadamente, cruzando o limiar do horizonte cénico. A ideia do apagar emocional da desterrada irracionalidade abrupta, era o desafio arrojado. A mancha mescla de seres errantes desorientados foi conduzida a um belo vale de paisagens esotéricas e idílicas, exuberância refinada e contemporaneidade extremada no traço das linhas mestras das divindades interventivas. O sorriso apagado das suas pálidas faces foi cristalizado num tempo passado e apartado. Os doces rostos não mais se fecharam e as futilidades dissociadas foram encarnadas numa outra dimensão, restando assim, e apenas, o intelecto promissor das massas não mais esterlicadas, não mais mortas intelectualmente, não mais desorientadas. O renascer das cinzas pesadas afectou a mescla de seres errantes e aquele vale foi consumido pela felicidade, pela pureza, pela sabedoria, pelo conhecimento. Abençoados neurónios brilhantes e iluminados. Aquele pequeno mundo surrealista salvaram e com o pedantismo dessincronizado fulminado desconcertaram o que era errado, no certo. Fomentados os estilos endémicos, criados os pares futuros, consagradas as odes ao místico e exótico maneirismo espacial de capricho rombo feito, a missão estava conclusivamente rematada. A película queimou e a cena escorçada findou. Tudo se esfumou, num sopro mágico de ilusão promontória.

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub