Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

A Esquina do Desencontro

Histórias de Desencontros Ficcionais (ou Não) na Esquina da Vida

A Esquina do Desencontro

Histórias de Desencontros Ficcionais (ou Não) na Esquina da Vida

Expansionismo Emocional da Razão

As preces abandonadas descartavam o minimalismo histórico evolutivo pautado pelo alheamento generalizado do histerismo público social. Os mundos apartavam intrigas vetustas enfatizadas pelo desregramento momentâneo das brigas infantilizadas, elevadas ao exponencial da razão omitida e ambígua que padeceu e padecerá sempre de eufemismo profuso desmesurado e altivo, ofensivo e decadente, controverso e dispersivo. Atentem ao expansionismo inteligível e efusivo da emotividade proporcional ao desaire equitativo dos voláteis vórtices atemporais diminutivos da mente hemisférica humana. Alargavam os horizontes frontais, aqueles cujo passado despropositado arredava finalizações abruptas consecutivas e estiramentos musculares neurais, cuja capacidade menos duvidosa desvendava alegorias metafóricas metafísicas desvairadas, mas que arrebatavam almas inocentes, ansiosas por aventurosos conseguimentos esporádicos de conquista desfeita. Abrir portas, fechar janelas, ruinoso desditoso momento de preciosa exuberância ignóbil e falaciosa. O círculo era restrito. O grupo fechado. Os pensamentos e as meditações telepatizadas na venturosa máquina da razoabilidade irrazoável, eram canalizados criteriosamente no espelhamento da alma inconsciente. O grupo abriu. O círculo pasmou. Alargou o âmbito, demoveu a estirpe original, misturou dilemas e contrastes psicóticos, verdades mentirosas, transtornos reversíveis, ênfase excessivo, dormida acordada. Brutal aliança, virada do avesso. Emotivo esvaziamento, na dança ilusória dos sentidos e das coisas. Expandir, abrandar. Expandir, abrandar. Conter. Controlar. Castrar. Dignos seguidores de condutas subversivas, reveladoras do desmembramento humanizador, aguardam. A descrença na intuição, no sexto sentido faliu. Sentiu-se. O expansionismo emocional da razão enganou e atravessou a obscuridade da viela viral da vida descarnada, mas encarnada. Encostaram ao muro os egos, diminuíram o fogo de artifício de purpurinas, encerrou a redoma, espremeu-se o sumo. Baixou o pano. Aplausos surdos, no momento da inverdade, surgem apreensivos, mas reais. O público desperta. O mundo virou. Horizonte branco.

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D