Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

A Esquina do Desencontro

Histórias de Desencontros Ficcionais (ou Não) na Esquina da Vida

A Esquina do Desencontro

Histórias de Desencontros Ficcionais (ou Não) na Esquina da Vida

Criações Iluminadas Espectrais

As variações lineares arbustivas de uma imaculada estância rejuvenescida qualquer, prostrada de sentido no tempo infinito, mutaram a vivência colorida de toda uma comunidade, escondida pela têmpera serrana das montanhas em redor. As ruelas da vida espartana olvidada espraiavam os humores das gentes e os sons surdos de musicalidade imperiosa invadiam a venturosa muralidade desprezada das mentes pagãs. As criações obtusas fomentadas no ermo da planície, iluminadas pelos espectros ancestrais da sabedoria popular, cresciam e retemperavam as brisas leves e perfumadas que encantam o lugarejo e que desencantam feitiços circulares na estrada esburacada, aqui e ali, da vida desentendida. A génese da ambição vespertina culmina nas esquinas do casario retesado de tão pouco habitáculo contextual disponível. Se optarmos por subir ao lado da praça, repleta de sonoridades de cantar alentejano resiliente e criativo, avançamos para a ilusão das bodas emotivas numa igreja simplista, mas intensamente consumida pela vontade cristã (ou pagã), meticulosamente crescente e recrutante, proveniente dos tempos áureos da crença no evangelho. Acolhamos a maralha desnorteada na nortada de leste, naquela casa branca destemperada. Sonhemos com as estirpes profiláticas pintadas de azul alentejo e branco caiado. As vidas desairadas serão ultrapassadas, os caminhos reencontrados, as vidas aconchegadas. E com muita esperança, cor e alegria, renascerá, uma vez mais, aquele resplandecente olhar brilhante, tenaz e persistente de força guerreira escriturado na história do povo. As criações iluminadas espectrais eclodem, assim, desmaterializadas de provimento imaterial e deixam de asfixiar a neuralidade pragmática das gentes que mexem e remexem nas terras baldias, para desbravar e cultivar, e que navegam por rios desobrados, de leito ainda duvidoso.

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D