Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

A Esquina do Desencontro

Histórias de Desencontros Ficcionais (ou Não) na Esquina da Vida

A Esquina do Desencontro

Histórias de Desencontros Ficcionais (ou Não) na Esquina da Vida

Aprendizes do Tempo

O tempo parou,

Para os que nele navegam,

Navegação descomprometida,

Perante intempéries que vergam.

 

Os aprendizes perfilam,

Anos de sabedoria apagada,

Esquecer a ancestralidade iluminada,

Vetusta esquina de aventura nua, na alvorada.

 

Magia e feitiço,

Segredos sem igual,

Tempestades infinitas,

Trovões e relâmpagos, num momento desigual.

 

Movimentos ondulados,

Manuseamento de beleza feliz,

Leitura infindável de calhamaços,

Aprendizagem incólume com verniz.

 

As lendas passaram,

Os mitos ficaram,

Os espaços foram rematados,

Numa classe mundana de iluminados que iluminaram.

 

A linha temporal escoou,

Imaginação e ficção,

Os aprendizes filtraram,

O mau olhado da escuridão.

 

A névoa desceu,

A mística invadiu a floresta negra,

Dissiparam-se almas penadas,

De feitiçaria feita pedra.

 

A classe finda,

Os ensinamentos foram esfumados,

As mentes esvoaçaram para longe,

Num infinito perdido, volúvel, repleto de prados.

 

Esperança gloriosa,

Emana do mais profundo de si,

Esperam-se grandes feitos e conquistas,

Do aprendiz do tempo, confesso alumni.

 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D