Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

A Esquina do Desencontro

Histórias de Desencontros Ficcionais (ou Não) na Esquina da Vida

A Esquina do Desencontro

Histórias de Desencontros Ficcionais (ou Não) na Esquina da Vida

A Teoria das Civilizações

Há muitos milhões de anos, os planetas extravagantes das galáxias vizinhas e do universo relativo copioso, então proverbial, eram quase todos habitados, salvo raras excepções. Aqueles que não eram habitáveis, devido à adversidade das suas condições atmosféricas e ambientais, as quais fulminavam impunemente qualquer potencial amostra de criação ou proliferação da biodiversidade civilizacional universal, tinham sido esquecidos pelos Anciões do Magno Círculo, que eram os representantes eleitos por sufrágio directo na Assembleia Universal Planetária, de todas as civilizações conhecidas e reconhecidas, porque as havia condenadas e proscritas, na época estelar do tempo presente do passado relativo. A Terra era um deles. As civilizações conhecidas e reconhecidas, profundamente heterogéneas em raça, espécie, cultura, hábitos e costumes, prosperavam imaculadamente e as respectivas comunidades viviam uma existência linear, protegida, pacífica e feliz. No entanto, a certa altura incerta e inqualificável, um acontecimento desconhecido e titânico despoletou uma série de desastres cataclísmicos e as civilizações começaram a correr sério risco de extinção massiva. Numa parceria tecnológica universal planetária, foi decidida pelo Magno Círculo, a criação de uma força de trabalho que desenvolvesse uma qualquer forma futurista e brilhante que permitisse tornar transportável a essência existencial de cada civilização ou seja, o seu povo, para uma zona de conforto pacífica e estável, garantindo-se sempre a promoção e potenciação de todas as condições essenciais e indispensáveis que assegurassem, assim, a sobrevivência de cada uma delas, para onde quer que se deslocassem e estabelecessem. Na altura, a Via Láctea e a Terra eram uma opção impensável e frequentemente questionável. No entanto, e durante a construção da frota espacial universal planetária, que durou dois binómios seculares, um outro acontecimento desconhecido despoletou uma série de profundas mudanças nas crenças primárias dos Anciões e no próprio planeta. A realidade ditava agora que a renovação da Terra fora de tal forma extraordinária, sendo que as suas peculiares condições de habitabilidade sofreram uma tal mutação positiva e potenciadora de fixação civilizacional real, perfeitamente inesperada e esperançosa, que colocavam na mira o planeta como promissor candidato ao estabelecimento da futura nova base multi-civilizacional. Não somos detentores de muitos mais factos relevantes e verificáveis ou de dados verdadeiramente credíveis que consubstanciem e validem a veracidade destes acontecimentos, mas a verdade é que a frota espacial universal planetária se dirigiu em massa para a Terra, onde consta, terá mesmo chegado, com a réstia promitente possível de cada civilização o que explica, extrapolada e ficcionalmente, que, ainda hoje, seja possível referenciarmos e nos identificarmos com o gigantesco manancial de heterogeneidade racial, de espécie, cultural e de hábitos e costumes que se cristalizou e consolidou na Terra. Somos, na realidade, fruto de uma multi-diversidade planetária, civilizacional e cultural. E quem sabe, se nos nossos planetas originais, não se escondem ainda os segredos de tantas vidas vividas num tempo anterior?

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D