Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

A Esquina do Desencontro

Histórias de Desencontros Ficcionais (ou Não) na Esquina da Vida

A Incontornável Comoção da Verdade Alternada

16.05.24 | Cuca Margoux

Na configurada metodologia,

A fala arrastou depressa,

Num simbolismo antagónico,

Numa miragem de insuspeita nostalgia.

 

A verdade oculta,

Virada na observação perspicaz,

Comenta retiro aleatório,

Desprende a comoção de um sonhar em paz.

 

A caminhada desenvolvida,

Num esgar de contida dor,

Determina a verdade partida,

Regra o sentido de um regressar sem fulgor.

 

Não se foge da regra,

Não se sonha com a luxúria,

Não há encanto que perdure,

Numa alternância manchada pelo olvidar da cúria.

 

Encenada a verdade,

Apartada a doce inverdade,

O pranto pasmado se revela,

O assombro se vela.

 

O assomar de uma outra certeza,

O desdizer do que foi dito,

A comovida inveja desgraçada,

O ser que se entrega no inconformado confronto da falsa graça afrontada.

 

Em certo o torto,

Em torto o certo,

Deferir o erro correcto,

Inventar o erro incerto.

 

A incontornável comoção da verdade alternada,

Volátil na linearidade precária do tempo,

Suspensa na temporária vivência do momento,

É apenas um pequeno instante alheado no estreito pensamento.

 

Assim, a alternância se esconde,

Na mentira verdadeira,

Na comoção sobranceira,

No contorno falseado da medida rasteira.