Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A Esquina do Desencontro

Histórias de Desencontros Ficcionais (ou Não) na Esquina da Vida

Sistema Robótico Revolucionou a Cirurgia do Cancro da Próstata

30.11.23 | Cuca Margoux

por Sandra M. Pinto

Desde 2003, com a criação do movimento Movember – que fez de Novembro o mês consagrado à sensibilização e prevenção das doenças masculinas – que o cancro da próstata ganhou destaque como a patologia oncológica mais comum entre os homens.

Na cirurgia do cancro da próstata, o sistema robótico da Vinci tornou-se uma inovação médica que revolucionou as intervenções cirúrgicas, nesta doença.

conhecer mais: foreveryoung.sapo.pt

Minimalismo: a Arte de Viver Com o Essencial Que Pode Mudar a Sua Vida

30.11.23 | Cuca Margoux

O minimalismo está cada vez mais em voga e traz vantagens para a saúde, para a carteira e para as relações interpessoais. Aprenda a pô-lo em prática na sua vida.

por Susana Torrão

A origem

Enquanto estilo de vida, o movimento minimalista teve origem nas décadas de 60 e 70, muito ligado aos movimentos de contracultura e como reação à escalada da sociedade de consumo. Nos anos 80, ganhou novo fôlego com a edição do livro Voluntary Simplicity, do norte-americano Duane Elgin, historiador e palestrante internacional. Desde então, o minimalismo foi sofrendo altos e baixos de popularidade, até que, nos últimos anos, com as questões da sustentabilidade ambiental e consumo consciente cada vez mais na ordem do dia, tem vindo a ganhar terreno.

conhecer mais: prevenir.pt

A História do Que Se Diz

29.11.23 | Cuca Margoux

Num qualquer tempo feito de reflexão equívoca, o saber promontório carece de singular premonição ou referencial antecedente, porque o espírito iluminado da dotada narrativa assenta na premissa de que o fundo da mente que mais impacta determina e condiciona o dizer audível. Não sendo verdade a mentira, a mentira desdiz o saber dizente e o contrassenso producente. É certo que a lógica se caracteriza pela referenciação passada, numa insígnia simbólica feita de experiências e vivências condicionadoras da razão intencional. Subjectivar é incontrolável e imprevisível, daí que a propensa vontade do dizer com história, ou lógica, seja uma inevitabilidade profundamente inevitável. O sentido da conduta e da postura, do comportamento e da atitude, da ética mais ou menos volátil, é reflexo de audaciosa genética filtrada que se compadece com a contextualização enraizada ou, tão simplesmente, o resultado de uma teia de imprevistos que afinal até resultaram. A encruzilhada da história que faz alguém dizer algo é insondável, um mistério frenético e variável, uma realidade fantasiada ou uma fantasia quase realizada. O que se diz por dizer, não se diz. O que se diz com convicção tomba no alinhamento da condução linear de um viver temporário, com início e fim temporizados. Os mesmos entendimentos se desentendem com assustadora facilidade. O que dizer universalmente numa nuance mal interpretada? As derivações históricas que definem com substância o encanto do dizer dotado, vacilam, afinal, numa interrogação argumentada em consenso com os sentidos subtis da acção do coração. Não saber o passado, não compreender o que já foi, aquela história desengonçada ou o conto malfadado, é caminho certo para o tombo indiscreto. Na fuga anunciada pela ignóbil ilusão de que o passado não conta, o dizer desprende aquele outro sentir realizável, mas menos glorioso, que permite ir vivendo honestamente num universo alternativo, paralelo, apenas materializável com o condão de uma mão invisível que, de novo, desperte o verdadeiro pensamento, através do subtil (des)conhecimento. A história do que se diz é desconhecida. Cada um sabe de si. Ninguém conhece verdadeiramente o interior do outro. Assim, a encenação do dizer é factual, restringida por dados reportados, apenas baseados na evidência supostamente quantificável de uma realidade que, em boa verdade, é inexplorável e, por vezes, até mesmo incompreensível. O que sabemos do outro? Nada. A aparência, aquilo que o outro nos quer mostrar. O interior individual não corresponde minimamente ao exterior social, verdade seja dita. E, assim, acontece a história do dizer que se diz na linguagem verbal e corporal manifesta, ou sonhada, ou tão somente conveniente, de acordo com a circunstância temporal e espacial.

O Impacto da Inteligência Artificial "Vai Ser Tão Grande ou Maior Que o da Revolução Industrial"

29.11.23 | Cuca Margoux

por Tiago Oliveira

As alterações em marcha alavancadas nas novas ferramentas de inteligência artificial vão ao cerne mais profundo do que significa uma profissão ou uma atividade económica. Implicam uma preparação muito grande de quem está no mercado de trabalho e uma atenção enorme dos legisladores para garantir que as ameaças que muitos sentem não superem as oportunidades que outros muitos garantem estar ao virar da esquina.

ler mais: expresso.pt

6 Dicas Para Garantir o Sucesso Profissional das Novas Gerações

29.11.23 | Cuca Margoux

por Isabel Bettencourt

As perspetivas sobre as carreiras evoluem em sintonia com a complexidade do mercado de trabalho, tornando relevante a necessidade.

A sociedade está em constante evolução, e com ela, as perspetivas sobre carreira e sucesso também mudam. O mundo do trabalho está a tornar-se cada vez mais complexo e dinâmico, o que torna essencial preparar as crianças e jovens, desde cedo, para a gestão de carreira. 

saber mais: rhmagazine.pt

Cinco Benefícios das Hierarquias Horizontais nas Empresas

29.11.23 | Cuca Margoux

por Margarida Lopes

Há competências interpessoais, de comunicação e de produtividade dos colaboradores que as empresas devem valorizar e que acrescentam valor em projectos e funções paralelas, numa lógica de evolução horizontal. Assim, a Zühlke partilha cinco benefícios de investir em hierarquias horizontais para desenvolver talento e resultados.

conhecer mais: hrportugal.sapo.pt