Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A Esquina do Desencontro

Histórias de Desencontros Ficcionais (ou Não) na Esquina da Vida

A Esquina do Desencontro

Histórias de Desencontros Ficcionais (ou Não) na Esquina da Vida

Uma Inconsequente Perspectiva Sobre Estratégia e Planeamento

Primordial começo em que a Estratégia e o Planeamento se restringiam aparentemente a lógicas concebidas apenas militarmente, baseadas em premissas de guerra, mais ou menos políticas e diplomáticas, e operacionalizadas através de tácticas e manobras, mais ou menos cirúrgicas. Ou, talvez não (a minha percepção da realidade militar é factualmente limitada). Na realidade, toda a existência assenta em pressupostos estratégicos planeados, mas, em larga escala, intrínseca e naturalmente intuídos. Em boa verdade, todos os dias delineamos estratégias e planeamos com o intuito de facilitarmos as nossas vidas e de construirmos rotinas que nos permitam aproveitar o mais eficaz e eficientemente possível cada precioso minuto disponível. As 24 horas diárias condicionam e infernizam a nossa gestão do tempo, limitando-a a um intervalo restritivo e demarcado não se sabe muito bem por quem, ou como, ou porquê. É certo que existem muitas teorias e explicações históricas, mas o que determina verdadeiramente a conceptualização de algo? A necessidade, o fácil entendimento e a fácil utilização. Talvez. Na realidade, convencionou-se, algures num outro tempo, anterior a este, e numa outra era, que 1 minuto tem 60 segundos e que 1 hora tem 60 minutos. Mas, porquê 60? Porque não 100? O alargamento do tempo permitiria, com certeza, um aproveitamento mais intensivo dos recursos, temporalmente falando. Enfim, moving on. Analisamos, diariamente, os contextos interno e externo em que nos inserimos, as oportunidades em vista e as ameaças potenciais, os nossos pontos fortes e as nossas limitações ou fraquezas mais evidentes e, só depois, tomamos decisões e planeamos e agimos, de acordo com a estratégia que mentalmente produzimos para obter um sucesso quase certo. Claro que todo este processo é muito acelerado e passa-se num espaço de tempo que reverte em apenas segundos ou minutos, mas, no entanto, é um processo, com princípio, meio e fim, levantamento de necessidades, elaboração de estratégia, avaliação de recursos e acção. A narrativa começa a divergir para decomposição filosófica e utópica da realidade, baseada na convenção ideológica primária da idade dos porquês. Mas, por vezes, faz falta compreender o porquê das coisas, para actuarmos sobre essas mesmas coisas mais assertiva, eficaz e eficientemente. Estas são divagações quiméricas que traduzem, no entanto, preocupação constante e reflexão necessária sobre o que fazer, quando o fazer, como e porquê, e quais as consequências desse mesmo fazer. Nada é garantido, ou certo. E mesmo com estratégia e planeamento quotidianos, a incerteza que determina a nossa passagem terrena é real e repleta de variáveis incontroláveis, ou até desconhecidas. Mas, como em tudo, a prática, a experiência, o bom senso, a ponderação e a intuição podem ser de grande ajuda. Ou não.

NASA Ingenuity Mars Helicopter Prepares for First Flight

NASA is targeting no earlier than April 8 for the Ingenuity Mars Helicopter to make the first attempt at powered, controlled flight of an aircraft on another planet. Before the 4-pound (1.8-kilogram) rotorcraft can attempt its first flight, however, both it and its team must meet a series of daunting milestones.

Ingenuity remains attached to the belly of NASA’s Perseverance rover, which touched down on Mars Feb. 18. On March 21, the rover deployed the guitar case-shaped graphite composite debris shield that protected Ingenuity during landing. The rover currently is in transit to the “airfield” where Ingenuity will attempt to fly. Once deployed, Ingenuity will have 30 Martian days, or sols, (31 Earth days) to conduct its test flight campaign.

learn more: nasa.gov

Doutor Finanças Partilha Soluções Para Evitar Entrar em Incumprimento com o Final das Moratórias

O Doutor Finanças, empresa especializada em finanças pessoais e familiares, alerta para o facto de algumas moratórias privadas, concedidas no âmbito do protocolo da Associação Portuguesa de Bancos (APB), relativas ao crédito habitação terminarem já este mês de março. Desta forma, quem estiver a beneficiar destas moratórias vai passar a pagar as prestações completas dos créditos que tem a decorrer. E é determinante saber o que se pode fazer quando a moratória no crédito terminar.

“Estas moratórias abrangeram contratos de crédito que, por alguma razão, não entraram na moratória pública. De qualquer forma, o final do período de vigência deste protocolo para as moratórias privadas não significa que não se possa fazer nada, principalmente quem antecipa problemas financeiros. Neste contexto, é muito importante informarmo-nos junto do nosso banco para perceber se a moratória está a terminar. Se esse for o caso, existem algumas medidas que podemos tomar para evitar o incumprimento”, alerta Rui Bairrada, CEO do Doutor Finanças.

ler mais: pontosdevista.pt

Da Produtividade para a UltraProdutividade

Viver constantemente no «tenho que» ou no «não tenho tempo» é uma ilusão cíclica que acaba por obstaculizar uma energia de ultraprodutividade – produzir conforme o nosso potencial, sem perdermos qualidade de vida.

O nível de otimização é precisamente esse, onde conseguimos colocar quem somos ao serviço do que fazemos, num equilíbrio fundamental, através de sistemas operativos eficazes para nós, indivíduos, e, consequentemente, também para as empresas para as quais trabalhamos. Estes sistemas vão alavancar a mudança de paradigma que a sociedade precisa, face ao seu futuro e sustentabilidade.

ler mais: rhmagazine.pt

«CEO Survey 2021», da Stanton Chase Portugal

O «CEO Survey 2021» da Stanton Chase Portugal revela que os executivos portugueses apresentam um nível de expectativas sobre a evolução da economia e dos negócios das suas empresas muito similar a 2020 e a 2019. Embora positivos, os resultados estão claramente abaixo do período de 2015 a 2018, indiciando que depois de um período de expectativas elevadas, existe desde 2019 um claro desencantamento.

conhecer mais: human.pt

Competências Digitais Avançadas Podem Gerar 2,3 Mil Milhões de Euros em Vendas Adicionais em Portugal

Embora Portugal fosse um dos países europeus onde as pequenas e médias empresas menos utilizavam ferramentas digitais antes da pandemia, é o terceiro país da Europa onde a sua utilização mais cresceu.

A transformação de pequenas empresas que utilizam pouco as ferramentas digitais (digitalmente incertas) em pequenas empresas digitalmente avançadas tem o potencial de gerar 2,29 mil milhões de euros em vendas adicionais em Portugal e mais 2428 postos de trabalho. Se olharmos para todo o continente europeu, os números sobem para 262,2 mil milhões de euros e 3,76 milhões, respetivamente.

ler mais: expresso.pt

A Post-Pandemic Bucket List (and What To Do In the Meantime)

YOUR POST-PANDEMIC BUCKET LIST

Oh, the things we’ll do when the vaccines are distributed and the pandemic is over! Don’t we all have a post-COVID bucket list? The people we’ll see, the places we’ll go, and all the once ordinary, now forbidden adventures we’ll have.

We can start with that long and growing list of people and events we’ve been waiting to celebrate properly. I keep thinking about all those bits of joy we’ve smuggled out of this crisis. The babies who slipped into the world amid all the static and fear, like messengers of future grace. (Some will be toddlers by the time they get to meet everyone who loves them.) The couples who ditched plush wedding venues, getting married on rooftops or in backyards with only a life raft of loved ones. The teenagers who found their rites of passage muted— quinceañeras, sweet sixteens, bar mitzvahs, proms and graduations—forcing them to learn some lessons way too early.

read more: time.com

Cells Walk Microscopic Tight Rope In New Study Of Cell Behavior

By offering cells a microscopic "tightrope," Johns Hopkins University and Virginia Tech scientists have discovered a new and surprising form of cellular movement.

Normally when cells crawling in an organism come into contact, they reverse and move randomly away from the other cell. But when nanofiber "tightropes" coated with proteins were suspended in a three-dimensional medium for cells to explore, cells either walked past each other to avoid a collision or formed a train moving together along the length of the nanofiber.

learn more: hub.jhu.edu

What Is Your Organization’s Long-Term Remote Work Strategy?

Companies shifted quickly and unexpectedly to remote work in early 2020, but leaders planning for a post-pandemic future have an opportunity to take a more intentional, strategic approach to remote work.  Most likely this will involve revisiting a number of 1) company policies and 2) management practices.  The authors examine key emerging trends in these areas and suggest a number of questions leaders should ask themselves as they plan for their organization’s optimal mix of remote work.

learn more: hbr.org

Why People Don't Always Speak Up At Work

Speaking up at work is generally seen as a good thing, and the likes of Harvard's Amy Edmondson have spoken and written at great length about the value of psychological safety at work. Speaking up could help to expose bias or prejudice, it could promote innovations that go against the status quo, or simply suggest strategies that differ from one's line manager.

learn more: forbes.com

Forssmann Amarrou Uma Enfermeira, Enfrentou Um Médico e Ganhou Um Nobel

Werner Forssmann esforçou-se em nome da Ciência e realizou uma auto-experiência em circunstâncias extremamente desafiadoras. Acabou por ser despedido, mas o feito valeu-lhe o Prémio Nobel.

Em 1929, Werner Forssmann trabalhava num hospital em Eberswalde, no norte de Berlim. Naquela altura, o médico cirurgião estava convicto de que era possível cateterizar o coração inserindo um tubo numa veia do cotovelo e empurrando-o até ao órgão.

A sugestão parecia tão desequilibrada que os médicos veteranos acabaram por rejeitá-la, argumentado que o procedimento mataria qualquer paciente disposto a submeter-se a tal.

conhecer mais: zap.aeiou.pt

Há Novos Passadiços de Madeira Junto ao Rio Minho Para Descobrir Esta Primavera

O passadiço de Monção foi criado no âmbito das obras de requalificação do Parque das Caldas e área envolvente.

Há mais uns passadiços de madeira para caminhar, explorar e aproveitar o melhor da natureza. E estes são ribeirinhos e novinhos em folha. Em Monção, nasceu o “Galiza Mail’o Minho”, o novo percurso pedonal do concelho que une o centro histórico da vila às margens do rio Minho.

Segundo explica a autarquia no seu site, o passadiço foi criado no âmbito das obras de requalificação do Parque das Caldas e área envolvente, onde foram construídas várias estruturas de lazer. Entre elas, encontra-se esta nova estrutura de madeira junto ao rio Minho e ecovia até ao posto aquícola, em Troviscoso, que pretende “potenciar a atividade desportiva” e reavivar o relacionamento das pessoas com o rio.

conhecer mais: nit.pt

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub