Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A Esquina do Desencontro

Histórias de Desencontros Ficcionais (ou Não) na Esquina da Vida

A Esquina do Desencontro

Histórias de Desencontros Ficcionais (ou Não) na Esquina da Vida

Desligados

A luz apagou-se. A electricidade desligou-se da vida mundana e o mundo ficou literalmente às escuras. Numa variante avassaladora quanto esta, o que nos permite a imaginação contemplar, num desafio mental singular? A reacção primitiva. O instinto de sobrevivência. Adeus gadgets, adeus TV, adeus smartphones, adeus portátil, adeus máquinas imprescindíveis, adeus electrodomésticos, adeus dia à noite, adeus carros, adeus matéria-prima, adeus transformação e indústria, adeus serviços. O que fazer, sem nada? Sem acesso a nada? Sem domótica, high-tech, transportes, civilização citadina, a urbanidade perdida? A mente determina a acção. As suas variantes são infindáveis e insondáveis. A reacção, apesar de toda a racionalidade subjacente, imprevista e incontrolável. Como sobreviver? Voltar ao básico. O mundo está parado. Nada funciona, nada se move. As pessoas deixaram-se levar pelo desespero e galgam os passeios da sua própria imaginação. Quem sobrevive? Os mais aptos? E quem são eles agora? A literacia computacional, toda a tecnologia desenvolvida, as mentes quânticas e os robots milagre ajudam, agora? Desligados do mundo, os seres humanos, perecerão. Numa tentativa inglória de retomar o controlo dos grandes centros de decisão, financeiros e económicos, na realidade, a aptidão natural que permite a sobrevivência real e realista da espécie encontra-se no meio rural, no campo, no interior, no desterro. Nunca verdadeiramente desligados, os seres humanos que habitam estas orlas civilizacionais, entregam-se à difícil tarefa de reanimar toda uma propensão mórbida que invade e assombra os caminhos trilhados pelas pessoas desmotivadas e abandonadas. O retorno às origens acontece. O dilema da evolução e da modernidade deixa de ser relevante. Os que sobrevivem e sobreviverão, serão aqueles que conhecem os segredos da terra e da natureza, os que sabem as histórias ancestrais, os que guardam a riqueza suprema do conhecimento pela prática do engenho manual. Assim, mudarão os tempos. Assim, se reinicia o ciclo. Assim, se ligam os seres humanos, se ligam as pessoas. De novo. Ou não.  

Passeio em Família: Celebrar a Primavera no Museu do Oriente

Em homenagem à estação das flores, do renascer da Natureza e das novas cores que pintam a paisagem, oMuseu do Oriente, em Lisboa, preparou um conjunto de atividades para o mês de abril dedicado aos mais novos. Os três ateliês disponíveis acontecem sempre ao sábado, com repetições, e têm como missão juntar pais e filhos na descoberta de sensações da estação que acaba de começar.

ler mais em boacamaboamesa.expresso.pt

O Restaurante Português que é um Sucesso Mundial

Com uma estrutura fora do comum, O Cella prima pela originalidade.

Este espaço encontra-se dividido em dois. Um restaurante edificado numa casa de basalto que se encontrava completamente abandonada há vários anos e que foi recentemente recuperada, e uma estrutura fora do comum, feita em madeira onde se localiza o bar.

conhecer mais em www.escapadinhas.org

Using Comedy to promote Equality and Peaceful Communities

“I wanted to explore an issue a lot of women face. We’ll just be talking about ‘can women have it all?’—which is of course a question that society poses every so often, similar to things like:‘are women funny’; or ‘does she have to talk’; or ‘can a woman have a family and a career and friends and soccer’? I immediately think: well, maybe if you helped instead of asking me this question all the time,”joked comedian Aparna Nancherla during her appearance at the “Comedy for Equality” event on 25 March, in New York.

The event showcased UN Women’s work using comedy to promote women’s empowerment and counter extremism, as part of the “Empowered Women, Peaceful Communities” programme, funded by the Government of Japan. Nancherla and fellow comedians Tig Notaro and Natasha Vaynblat performed at the event.

read more in www.unwomen.org

Grutas Marinhas terapêuticas em Sagres

Foi uma longa viagem até chegarem à terra conhecida desde os Descobrimentos como “O Fim do Mundo”, mas cada quilómetro percorrido valeu a pena. O sol acaba de espreitar na ponta mais sudoeste da Europa continental e estamos no início da década de 1990. 

“Tudo OK? Vamos descer”, avisa Pedro Lima. E naquele instante, um grupo de amigos submerge numa aventura pelo fundo marinho de Sagres, longe de imaginar que iria testemunhar um evento com potencial para mudar a história da neurofisiologia.

ler mais em nationalgeographic.sapo.pt

Digitalizar para Agilizar

Se por um lado, os processos internos não mudaram muito na generalidade das seguradoras —em termos de distribuição, de contacto com o cliente, de processos internos—; por outro, os clientes são cada vez mais exigentes —a nível de informação, da qualidade de serviços, da rapidez de resposta, da conveniência.

ler mais em jornaleconomico.sapo.pt

A Mudança cada vez mais Acelerada

O trabalho está muito diferente da forma como o conhecemos tradicionalmente e a Siemens é prova disso. A entidade patronal, o local de trabalho, o tempo a ele dedicado e a relação hierárquica, estão todos em mudança. E o ritmo vai acelerar.

ler mais em hrportugal.pt

Os 7 Fundamentos do Coaching de Equipas

A razão da falta de produtividade, foco, assertividade e rentabilidade das equipas não reside, essencialmente, na ausência de capacidades técnicas dos seus membros. De facto, as hard skills são a componente mais simples de identificar e desenvolver.

A raiz principal da falta de performance de uma equipa está na incapacidade para gerir conflitos, nos sentimentos de insegurança das pessoas, no medo de errar, na baixa-auto-estima, na desidentificação com o objetivo, na falta de assertividade, de pró-atividade, de compromisso, de inteligência emocional, de adaptação, de criatividade, na baixa qualidade das inter-relações, na incapacidade para gerir a frustração, no medo da incerteza e na incapacidade para refletir e criar melhoria contínua.

ler mais em www.rhonline.pt

Pág. 1/10

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D