Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A Esquina do Desencontro

Histórias de Desencontros Ficcionais (ou Não) na Esquina da Vida

A Esquina do Desencontro

Histórias de Desencontros Ficcionais (ou Não) na Esquina da Vida

O Vale

A estrada por demais percorrida, encanta de novo. Serpenteia a montanha gigante, repleta de verde. Parecemos entrar numa outra dimensão. A natureza esmerou-se, por aqui. Ao longe o imenso vale. O rio corre ligeiro bem no meio, rodeado de boa pastagem para o gado e caminhos pedestres por desbravar. Aquele vale, único e maravilhoso, encanta e delicia. A paisagem inebriante leva-nos numa viagem ao passado recente. Outras eras, outras gentes. Os miradouros, ao longo do caminho, são paragem obrigatória para as fotos incontornáveis. Aproximamo-nos do covão. O rio nasce já ali. A nascente discreta, espreita por entre o arvoredo e corre com a transparência iluminada da natureza, num sulco aumentado e orquestrado pelas mãos antigas do gentio autóctone. Atravessa o covão onde, uma vez mais, o verdejante olhar e o doce escutar de água corrente, se aprazem numa festa conseguida de humana natureza. Apetece ficar. Deitar num rochedo e olhar a montanha gigante, o céu azul, a vida à nossa volta. Silêncio pacífico. Os humanos foram esquecidos, por breves momentos. Abandonamos o covão. O rio faz o mesmo e continua pelo vale abaixo. Perdemos, por vezes, o seu sentido, porque se embrenha lá mais para dentro. Vamos seguindo a estrada, estreita e inclinada. Olhamos para trás e deleitamos a vista com a imensidão sobrenatural de um mundo mágico e perfeito. Deixamo-nos levar pelas histórias e lendas do vale. Aproximamo-nos da vila. A natureza deixa o homem entrar, de novo. E assim, descobrimos a simplicidade do que ainda é belo.

Sós

A vida a dois padece de compreensão mais alargada. De uma maneira geral, o amor não colmata todas as lacunas relacionais e sabendo que tratamos da individualidade de dois seres, dificilmente a coordenação e articulação quotidiana se faz de ânimo leve. Defeitos e qualidades são apontados como factores diferenciadores. Mas o que leva dois seres, por vezes, com personalidades e formas de estar extremadas e opostas, a conjugarem as suas vidas? Pura química? Arrebatamento? O amor não se explica e tudo complica. Na realidade, estamos sós. É um facto. Nascemos sós e morremos sós. E, enquanto estamos sós, compreendemo-nos, entendemo-nos, respeitamos o nosso eu. Verdade seja dita que o mundo continua a girar, quando dois seres se decidem apartar. O tempo em conjunto nada diz sobre o futuro de uma relação. Acreditar e confiar um no outro, opera realmente maravilhas. O amor profundo, verdadeiro e incontornável, permanecerá sempre, mesmo depois de cometidos erros. É possível dedicarmo-nos a uma só pessoa, uma vida inteira. A parceria, a compreensão e o respeito, a comunicação, o amor que fica depois da paixão, é real e pode coexistir com a individualidade de cada um. Queremos sentir uma relação feliz, queremos fugir da solidão. O mundo é muito solitário. A vida, solitária por demais. Por isso, agarramo-nos ao outro, de corpo e alma, esquecemo-nos de nós um pouco, e amamos. Queremos amar. Sempre.

Procrastinação: a Sensação de Tempo Não Cumprido

Quem nunca teve a sensação de realizar um esforço hercúleo para concluir algo depois de desperdiçada uma margem de tempo significativa? O escassear de tempo, a ansiedade de ter, aparentemente, de realizar o impossível quando estamos próximos do deadline, são os sintomas de quem adia sucessivamente a tarefa. Numa palavra: procrastinação – palavra com origem no latim procrastinatus, em que pro significa “à frente” e crastinus “de amanhã”. Torna-se, assim, percetível o significado da mesma – colocar “isto” no depois do amanhã. Mas como evitar este fenómeno?

ler mais em lidermagazine.com.pt

Mais de 160 mil Jovens Portugueses Não Estudam, Nem Trabalham

Mais de 160 mil jovens portugueses não estuda, nem trabalha, segundo a informação divulgada esta terça-feira pelo Garantia Jovem, programa europeu de resposta à inatividade e ao desemprego jovem, coordenado, em Portugal, pelo Instituto do Emprego e Formação Profissional (IEFP).

Os dados foram apresentados no Instituto de Ciências Sociais, em Lisboa, durante um debate sobre o emprego jovem, numa iniciativa promovida pelo IEFP. Dos mais de 160 mil jovens portugueses que não estudam, nem trabalham – os chamados NEET, que em inglês signica Not in Education, Employment or Training e, em português, não estudam, não têm emprego, nem recebem formação –, 50,2% pertence ao género feminino e 49,8% ao género masculino.

ler mais em inforh.pt

Quadros de Picasso: Golpes de Génio

Desde os garatujos da infância até às derradeiras pinceladas aos 91 anos, Pablo Picasso empenhou-se em dominar a sua arte, profundamente pessoal.

É considerado um dos mais influentes artistas do século XX. A sua obra continua a ser estudada, pelo seu significado, e celebrada, pela sua criatividade. 
A temática e o estilo, inspirados pelas muitas amantes que teve e por outros artistas, estavam sempre em mutação. O trabalho de Picasso encontra-se dividido neste artigo, sem rigidez, em 14 fases distintas – acompanhadas por palavras do próprio artista.

ler mais em nationalgeographic.sapo.pt

Inside the Digital Factory

The industrial world has been in the throes of digitization for well over a decade. Primarily through enterprise resource planning (ERP) and manufacturing execution systems (MES), critical planning, scheduling, warehousing, inventory management, and logistics processes have been automated and simplified. But these gains have been restricted to technology silos, supporting separate functions of the factory rather than improving the performance of the plant — and its extended supply chain — in a broader way.

read more in www.strategy-business.com

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub