Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A Esquina do Desencontro

Histórias de Desencontros Ficcionais (ou Não) na Esquina da Vida

A Esquina do Desencontro

Histórias de Desencontros Ficcionais (ou Não) na Esquina da Vida

Os Tempos Infinitos

Sentidos apartados esperam, numa mão cheia de nada, com uma certa convicção despropositada, quando provocados por estímulos incandescentes e vigorosos. A estrada da rotunda aberta, murada por heras pintalgadas, aqui e ali, sarapintadas acoli e acolá com as belas rosáceas esquecidas de amores de perdição passados, entrava de rompante na aldeia, com desmesura irrealizável e precaução incauta. Os tempos passavam através das paredes finas e irreais de mundos perpendiculares subtis diferentes e diferenciados, lembrados, no entanto, e ainda, pela tempestuosidade das lembranças vivenciais dos povos separados macabramente. O infinito brota contínuo e o fim é irreconhecível. A escadaria de mármore que o levaria de volta ao mundo real da superfície protegida, encerrava uma passagem secreta que se deixaria volatizar, numa deixa mímica discreta, se ele não a alcançasse, sob o efeito do feitiço recompositor. O sonho caminhava para a realidade. A realidade entrava no subtil resguardo do sonhar acordado. As fantasias e a magia negra ocultadas pelo mundo real da superfície protegida, mascaravam teatralidade musical vetusta. Os tempos infinitos depressa cairiam no finito da tentação velada, numa cadência expectável de continuo fatalista sufragista invernal. Ele tombou. Levantou-se. Tombou, de novo. Levantou-se, de novo. Adormeceu de olhos abertos. Mórbida solidão na entrada da passagem secreta que enfrenta, agora, mais tarde do que nunca antes, uma vibração emocional estancada no sangramento desmedido de um coração olvidado, num qualquer cenário de deserto feito, numa qualquer estação do ano, num qualquer mundo terreno ou extra-terreno. Ele conquistou algo. Ficou na História. Fitou a vida. Abraçou a morte. Por algo maior. Algo melhor. O desconhecido mais além, mesmo adormecendo de olhos abertos. Mesmo tombando.

7 Ways Sleep Affects The Brain (And What Happens If It Doesn't Get Enough)

For a long time, researchers weren’t quite sure why we sleep. There are a number of different theories. Some are evolutionary: For instance, sleep keeps us out of trouble at night and away from animals who wake up and hunt after the sun goes down. Some are physiological: Sleep lets us conserve precious energy. And some are anecdotal: Parents joke that they’d go nuts if sleep didn’t exist, since it affords them a much-needed break from their kids. But the reality is that the brain does a lot of work while we’re sleeping—even though we’re unconscious, this doesn’t at all mean the brain is “off.” In fact, in many ways, it's incredibly "on."

by Alice G. Walton, read more in www.forbes.com/sites

Espetáculo de Vídeo e Luz Regressa ao Terreiro do Paço

De 14 a 23 de dezembro, o Terreiro do Paço enche-se de luz com um espetáculo de videomapping dedicado à época natalícia.

É na fachada do Arco da Rua Augusta, no Terreiro do Paço, que é projetado mais um espetáculo gratuito de videomapping. Chama-se O Novo Palácio do Nicolau e aborda a temática do Natal, assim como a preocupação com o meio ambiente e as consequências das alterações climáticas.

ler mais www.evasoes.pt/ar-livre

The Dawning of a Conscious Consumer

A while back, while shopping for clothes, I almost purchased T-shirts that were (most likely) made by slaves. The only thing that stopped me was remembering this video, which popped up while I was scrolling through my social media newsfeed. The video shifted my self-centered perspective, and I realized that what constitutes a good deal for me is, most likely, a bad deal for someone else.

read more in www.strategy-business.com

The Anesthesia Dilemma

Researchers are trying to determine if chemicals used to knock out young children during surgery can have long-term repercussions on memory and development.

read more in www.scientificamerican.com/article

Um Chá Contra a Solidão?

Chama-se Atlântico e é o mais recente projeto de Sancha Trindade, autora da plataforma "A cidade na ponta dos dedos". Trata-se de um chá que visa ajudar a reduzir a solidão dos idosos de Lisboa.
Este é um chá sem fins lucrativos, produzido em parceria com a Companhia Portugueza do Chá e cujas vendas vão reverter para a Associação Mais Proximidade Melhor Vida.

ler mais em www.briefing.pt/comunicacao

Quem Vai Sobreviver à Sexta Extinção?

A sexta extinção é provocada pelo ser humano e vai levar ao desaparecimento de várias espécies de animais e há quem questione se o homem não será um deles. Ainda há muito por saber sobre este assunto, mas a maioria dos cientistas parece concordar num ponto, segundo o El País: a sexta extinção já começou, mas é reversível.

ler mais em www.dn.pt/sociedade

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub